quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

a entrevista

Francamente, não consegui ver até ao fim a entrevista do nosso Primeiro Ministro. Enjoa-me a propaganda do costume, comprida demais, sem novidades, sem credibilidade, enfim, lixo eleitoral.
O pior é que, pouco tempo depois, veio o Banco de Portugal desmentir tudo o que tinha sido dito e os comentadores respeitáveis acabaram por massacrar o que restava do toda aquela demagogia boçal.
A melhor foi a afirmação de que o Governo ajudaria a não falir todas as empresas que pudesse. E fiquei a pensar: quais empresas? as dos amigos, as dos banqueiros, as dos construtores? e com que dinheiro?
Este Socrates continua a piorar, a piorar, de mal a pior.

6 comentários:

  1. Olá

    A entrevista pareceu-me ensaiada,sem interesse para a maioria dos portugueses(comuns).
    Quem vive no país real sabe bem que o que este cavalheiro disse são só balelas.
    Portugal percisa de gente séria e desinteressada na política.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. padeirinha08/01/09, 18:17

    A entrevista parece ter sido combinada.
    Quanto às empresas vejo-as a ir à falência, menos as dos amigos... poderosos.

    ResponderEliminar
  3. Teria sido melhor se tivessem feito como eu, que fiquei a ver a telenovela.
    Estavam à espera de quê ?

    ResponderEliminar
  4. Acho que estávamos todos à espera daquilo mesmo.

    ResponderEliminar
  5. Já agora, abri um blogue novo.
    Está aqui:

    http://fanicos3.blogspot.com/

    Mas não vão lá já: ainda não escrevi nada de jeito

    ResponderEliminar

Os comentários publicados são da responsabilidade de Commonsense, pelo que não serão publicados ou serão apagados os que forem insultuosos, ofensivos ou de baixo nível.