domingo, 21 de fevereiro de 2010

the dark side of the moon (2) lavadeiras de Portugal

Era eu pequenino, houve uma música portuguesa que passou a fronteira e chegou a ser conhecida em França: "Lavadeiras de Portugal", enchendo de orgulho os bisonhos portugueses.
Hoje, já não se lava roupa nas águas do Sado; lava-se dinheiro nos bancos. Dinheiro de proveniências várias, umas de cá, outras de lá. É uma indústria próspera e patriótica que poderá contribuir seriamente para ajudar a solucionar a crise.
E como é que se lava? É fácil.
Primeiro, é preciso ter roupar para lavar, quer dizer, ter dinheiro sujo fora do País, mais, fora da UE. Não é difícil, arranja-se com subornos, empenhos, droga, etc., há tantas maneiras como as de cozinhar bacalhau. Arruma-se a roupa, leia-se, parqueia-se o dinheiro numa off-shore. Há-as em todo o lado e para todos os gostos. Quem não souber, pode ir às páginas de anúncios do Economist ou ao balcão dum banco português. E parqueia-se lá, aí um milhão de Euros (menos não vale a pena). Qualquer coisa que venha duma licença ambiental, dum PIM, duma modificação "à maneira" dum PDM, sei lá....  Depois, contrai-se um empréstimo de uns 800 mil Euros. Branquear custa 20%, quando é barato (chega a 40% quando é caro). Depois, recebe-se os 800 mil Euros do empréstimo. Estes €€€ já são roupa lavada. Depois, chegado o vencimento do empréstimo bancário, não se paga nada ao banco. Entra-se em default. Antes de ir para contencioso, este default vai para a recuperação. Na recuperação, a coisa resolve-se por acordo: dá-se a off-shore em pagamento do empréstimo. O banco fica com a off-shore e o milhão de € que lá está dentro e já deu os 800 mil € ao cliente. O cliente ficou com os 800 mil € banqueados, em Portugal, lavadinhos, engomados e a cheirar bem, e o banco ficou com o milhão de € na off-shore. Sim, porque lavar dá trabalho e tem um preço. Neste caso foi de 200 mil € (20%).
É por isso que há para aí bancos que têm tanta off-shore.
Nota: também se faz com  outros bens que não off-shores. Com a roupa suja, compra-se uma obra de arte que vale o tal milhão de €. Pede-se o empréstimo de 800 mil € que não se paga, e dá-se a obra de arte em pagamento, ficando com os 800 mil € (20% de preço). Por isso é que há bancos com obras de arte nas caves.
E também se faz sem bancos, com particulares. E até se faz com pessoas individuais com posições importantes em bancos ou em grupos, ou com sociedades in-shore que se pensa pertencerem a esses bancos ou grupos, mas que pertencem só a accionistas de tais bancos ou a indivíduos que lhes estão ligados.
É como cozinhar bacalhau: há pelo menos 365 receitas.

3 comentários:

  1. Roberto Bilro Mendes23/02/10, 11:12

    É preciso coragem para dar esta "receita de bacalhau"; uma coisa é certa: em Portugal temos bons cozinheiros!

    Já era tempo de alguém contar estas coisas...

    ResponderEliminar
  2. Olá,
    Este é informar o público em geral que a senhora Rose Anna, um emprestador empréstimo privado tem abrir uma oportunidade financeira para todos na necessidade de qualquer ajuda financeira. Damos o empréstimo a uma taxa de juros de 2% para os indivíduos, as empresas e as empresas sob um termos e condições claras e compreensíveis. contacte-nos hoje por e-mail para: (roseannamoore70@gmail.com)

    ResponderEliminar
  3. Eu sou eu, este é CLAUDINE,há muitos golpe
    as ofertas de empréstimo entre o particular.Que eu possa sorrir novamente
    é graças a LEBRON JULE
    que me concedeu um empréstimo de 16.000€ devo pagar mais de 56 meses
    com uma muito fraca interesse de sua parte é de 3%, qualquer que seja a soma
    solicitado,o período de reembolso de 1 a 25 anos, dependendo, claro, o
    emprestado soma de 16000€ e dois dos meus colegas também têm recebido
    pronto para a sexta-feira 03/02/2017 manhã recebi o dinheiro sem protocolo.
    Então eu aconselho você a entrar em contacto com ele e ele irá satisfazê-lo de todas as
    os serviços que você pedir.:contato no endereço
    seguinte: lebronjule68@gmail.com
    Boa Sorte. E não se esqueça de compartilhar para ajudar
    os seus amigos.

    ResponderEliminar

Os comentários publicados são da responsabilidade de Commonsense, pelo que não serão publicados ou serão apagados os que forem insultuosos, ofensivos ou de baixo nível.